Outubro Rosa


Outubro Rosa

O movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa, é comemorado em todo mundo. O objetivo da campanha é compartilhar informações sobre o câncer de mama e, mais recentemente, câncer do colo do útero, promovendo a conscientização sobre as doenças, proporcionando maior acesso aos serviços de diagnóstico e contribuindo para a redução da mortalidade.

 

O nome da campanha remete à cor do laço que é um símbolo internacional usado por indivíduos, empresas e organizações na luta e prevenção do câncer de mama. É por esse motivo que durante esse mês a cor rosa ilumina a fachada de diversas instituições públicas e privadas iluminam suas fachadas com objetivo promover indicar a adesão ao movimento.

O diagnóstico precoce ainda é o maior aliado para o tratamento eficaz do câncer de mama. Quando identificado cedo pode ser tratado, impedindo que o tumor alcance outros órgãos.

 

O câncer de mama pode ser detectado em fases iniciais, em grande parte dos casos, aumentando assim as chances de tratamento e cura.

É o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma. O tumor responde, atualmente, por cerca de 28% dos casos novos de câncer em mulheres. Ele também acomete homens, porém é raro, representando menos de 1% do total de casos da doença. Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta idade sua incidência cresce progressivamente. Existem vários tipos, porém alguns evoluem de forma mais rápida.

A postura atenta da mulher em relação à saúde das mamas significa conhecer o corpo e quais alterações são consideradas suspeitas. Por isso, é fundamental para a detecção precoce dessa doença que o autoexame – exame de toque das mamas – que deve ser feito todos os meses, sempre, no quinto dia após a menstruação e também o check up ginecológico anual.

 

Entre em contato pelo WhatsApp   www.bit.ly/contatoclinipop e agende a sua consulta com a nossa Ginecologista.

Menopausa

A menopausa é um evento fisiológico e normal da vida mulher que ocorre por volta dos 50 anos de idade e é caracterizada pela suspensão definitiva da menstruação. Isso significa que ela esgotou seu estoque de óvulos, que foram liberados desde a puberdade, mês a mês, ao longo de 30, 35 anos.

A partir deste momento, os ovários param de produzir os hormônios do ciclo menstrual, estrogênio e progesterona, época da vida denominada de climatério.

Os sintomas que marcam a entrada no climatério são semelhantes aos de uma TPM, só que acentuada e prolongada. Na TPM, a sensação de inchaço no corpo e mamas, as dores fortes de cabeça ou enxaquecas, as alterações de humor (nervosismo, irritação, tristeza profunda e mesmo depressão) podem manifestar-se ao longo de até quinze dias antes da menstruação. Do meio para o fim do climatério são comuns, ainda, a irregularidade nos ciclos e a variação do fluxo menstrual.

Quais os tratamentos para a paciente?

O tratamento para mulheres na menopausa que podem ajudar na melhora dos sintomas podem ser divididos em medicamentosos e comportamentais. As pacientes se beneficiam bastante de mudança no estilo de vida como alimentação saudável, pratica regular de exercícios físicos ou início de determinado tipo de hobby, diminuição de peso, cessação de tabagismo ou abuso de álcool.

O tratamento medicamentoso depende muito dos sintomas que a paciente relata, porém ele pode ser realizado com auxílio de reposição hormonal, antidepressivos, fitoterápicos e cremes vaginais, tanto hormonais quanto lubrificantes, que diminuem o ressecamento local.

Recomendações

  • Não considere que depois da menopausa a mulher está dispensada do acompanhamento ginecológico que deve continuar sendo feito com regularidade;
  • Cuide da alimentação e evite ganhar peso;
  • Evite a ingestão de álcool e não fume;
  • Encontre tempo para a prática diária de atividade física, além de ser importante para o bem estar físico, ela é fundamental para o controle da pressão arterial, prevenir a osteoporose e doenças cardiovasculares e atenuar as alterações do humor.

    Entre em contato pelo WhatsApp   www.bit.ly/contatoclinipop e agende a sua consulta com a nossa Ginecologista.

Mãe é ….

Domingo, dia 10 de maio é o Dia das Mães, infelizmente com essa pandemia, não poderemos realizar aquele almoço de família em comemoração a quem nos deu a vida e cuida de nós independentemente da idade, mas não podemos de deixar de homenagear as super mamães, as quais temos muito amor e gratidão.

 

Mãe lê pensamento, tem premonições, é sensitiva. Mãe é amor incondicional, é proteção, é acolhimento. Mãe conhece sua cria como ninguém, conhece a cara de choro, a tristeza e o rostinho de quem aprontou. Mãe é remédio, cura tudo, desde pequenos machucados a corações partidos, porres e medos. Mãe é insistente, é brava, dá bronca, mas, dá força, dá carinho e dá amor. Mãe é super-heroína, derrota os monstros e abranda os corações. Mãe é solidária, compartilha o tempo, o dinheiro e a atenção. Mãe transborda, inunda, transcende… Mãe é luz!

Independentemente da idade do filho, a mãe se preocupa como se ainda fosse uma criança de 5 anos, torce e vibra por cada conquista, mãe se abdica de sua vida pelos filhos e todos os dias é dia de reconhecer e de agradecer.

Mãe é humana, é mulher!

Mamães, nossa eterna gratidão por serem nossas fãs número 1, serem nosso alicerce e apoio.

A Equipe CliniPop externa sua imensa Gratidão a todas as mães e deixa aqui o recado sobre a importância das mamães cuidarem da saúde. Mesmo sendo nossas eternas super-heroínas, vocês são humanas e precisam estarem saudáveis para estar ao nosso lado em cada etapa de nossas vidas, por que o único defeito da mãe, é não ser eterna.

 Feliz Dia das Mães para todos os tipos de mães!

 

Exames da mulher: Dos 30 aos 50 anos.

Olá mulherada,

No post anterior falamos sobre a saúde da mulher e os exames preventivos até o pré-natal, certo?! Então hoje vamos concluir esse assunto abordando a saúde feminina a partir dos 30 anos.

Vamos lá..

A partir do 30 anos

A partir dos 30 anos, aumentam-se os riscos de desenvolver problemas na tireoide e alguns tipos de câncer, por isso a importância de realizar os exames periodicamente para rastreio dessas comorbidades.

 

Ao procurar um médico de confiança, nesta faixa etária ele pode pedir exames complementares ao de rotina, como:

Ultrassom de tireoide

Normalmente, pede-se esse exame ao detectar algum nódulo do auto exame ou mesmo no exame clínico, é importante realizar esta ultrassonografia para investigar a origem destes nódulos, podendo até mesmo prevenir o agravamento de um suposto câncer na tireoide.

Colposcopia e vulvoscopia

Este exame é necessário para um melhor rastreio ao detectar alguma alteração no exame Papanicolau/preventivo ou mesmo no exame clínico quando há presença de lesões malignas, auxiliando assim na prevenção de câncer de órgãos reprodutores.

Ultrassom Abdominal

Permite a avaliação de órgãos como fígado, vesícula biliar, pâncreas, baço, rins, bexiga, aorta e veia cava inferior quando se deseja investigar dores abdominais e outros sintomas relacionados a essa região.

 

A partir dos 40 anos

Após os 40 anos, a mulher deve cuidar de forma redobrada da saúde, expandindo assim os exames a serem realizados para prevenir problemas cardiovasculares e câncer de mama.

 

Eletrocardiograma

Este exame investiga alterações no ritmo do coração, bloqueio de artérias e entre outras complicações, pois após a menopausa o risco de problemas cardíacos se eleva.

Mamografia

A mamografia é o exame que detecta a presença do câncer de mama e a partir dos 40 anos recomenda-se que seja realizada anualmente e a partir dos 50 anos, duas vezes ao ano.

Mulheres com histórico de câncer de mama na família, deve iniciar a realização da mamografia a partir dos 30 anos.

A partir dos 50 anos

Devido a idade e a menopausa, mulheres a partir dos 50 anos precisam ampliar a realização dos exames de rotina, como:

Perfil hormonal

É necessário realizar dosagens hormonais para investigar alterações associadas à menopausa, como os hormônios da tireoide.

Densitometria óssea

A osteoporose consiste na perda de massa óssea e afeta principalmente as mulheres depois da menopausa, pois a redução do nível do estrogênio acelera a descalcificação. Como essa doença é silenciosa, ela muitas vezes é descoberta apenas depois que a paciente sofre uma fratura.

Exame de fundo de olho

O exame de fundo de olho é realizado em recém-nascidos e pode ser feito em qualquer idade se necessário, mas se torna especialmente importante a partir dos 50 anos para diagnosticar problemas oftalmológicos como glaucoma e degeneração macular.

Além disso, esse exame permite a identificação e o acompanhamento de outras doenças, como hipertensão arterial, diabetes e hemorragia intracraniana.

Pesquisa de sangue oculto nas fezes

Detecta lesões malignas e pré-malignas localizadas no cólon e no reto apresentam um leve sangramento constante, que geralmente não pode ser visto nas fezes a olho nu.

Colonoscopia

Trata-se de um exame que permite a visualização do interior do cólon e do reto para a prevenção e o diagnóstico do câncer colorretal.

Este pode ser considerado um exame preventivo porque possibilita ao médico identificar lesões que podem se tornar um câncer, como os pólipos.

Fazer os exames recomendados para cada faixa etária é muito importante para a manutenção da saúde, mas somente o médico pode determinar o melhor momento para realizá-los.

 

Cuide da sua saúde, marque uma consulta com a nossa ginecologista.

Entre em contato pelo WhatsApp: ww www.bit.ly/contatoclinipop

Exames da mulher – Do início da vida ao pré-natal.

Nossa saúde demanda diversos e diferentes cuidados durante a vida. Conscientiza-se as mulheres a realizar exames periódicos para o mapeamento, prevenção e diagnóstico de diversas patologias.

A seguir listamos os principais exames que devem ser realizados pelas mulheres durante a vida de acordo com a faixa etária.

 

Durante toda vida é necessário realizar a dosagem de diversos elementos presentes no nosso corpo, por isso alguns exames são de tamanha importância, são eles:

Hemograma

Avalia quantidade, volume e funcionamento de diversas células. É o hemograma também que detecta anemias, suspeitas de infecções e até de patologias mais sérias.

Glicemia de jejum

É o medidor de glicose no sangue, onde investiga-se a diabetes ou pré-diabetes.

Perfil Lipídico

É o exame de mede as taxas dos tipos de colesterol e triglicerídeos, fazendo assim uma pesquisa de possíveis doenças cardiovasculares.

TGO e TGP

São exames que visam o funcionamento hepático e a pesquisa de algumas condições como hipotireoidismo, pancreatite, entre outras.

Creatinina e Ureia

A dosagem dessas substâncias é imprescindível para avaliar o funcionamento renal e detectar problemas como cálculo renal, entre outros.

TSH, T4 LIVRE e T3

São dosagens dos hormônios da tireóide, ou seja, detectam problemas como hipertireoidismo e hipotireoidismo.

Exame de urina

É útil para a avaliação dos rins e vias urinárias. Através da urina é possível também analisar as proteínas, leucócitos e outros.

A partir da adolescência ou ao iniciar a vida sexual é necessário a realização de diferentes exames, para avaliar o desenvolvimento e saúde dos órgãos reprodutores.

Exame pélvico e de mamas

É o exame clínico realizado durante a consulta ginecológica, que por meio visual e de apalpação pode-se avaliar o colo do útero e possíveis alterações nas mamas.

Papanicolau ou preventivo

Consiste na raspagem do colo do útero para análise. Através deste exame é possível detectar DST’s e possíveis lesões a se transformarem em câncer de colo de útero, por isso, a importância de ser realizado periodicamente.

Ultrassonografia Transvaginal

É através deste exame que se torna possível a avaliação do útero, tubas uterinas e ovários.

 

Ao planejar uma gravidez, é importante a realização de exames para mapear possíveis doenças que podem prejudicar o desenvolvimento do feto.

 

Tipagem sanguínea

Trata-se da identificação do tipo sanguíneo da mulher (A, B, AB ou O) e do fator Rh (positivo ou negativo).

ANTI RH

Se uma mulher com fator Rh negativo gera um bebê com fator Rh positivo, seu organismo pode desenvolver anticorpos anti-Rh, dando origem a uma incompatibilidade sanguínea chamada eritoblastose fetal.

Embora o risco seja baixo para o primeiro filho (pois a mãe ainda não terá produzido anticorpos), há uma grande chance de que um segundo feto com Rh positivo apresente sequelas graves se não houver tratamento.

Exame de rubéola

O exame detecta se a mulher apresenta imunidade à doença, seja por já ter tido rubéola na infância ou por ter tomado a vacina.

Exame de toxoplasmose

Também indica se a mulher tem imunidade a essa doença, portanto um resultado positivo significa que o organismo produziu anticorpos e não está vulnerável a ter toxoplasmose novamente.

Sorologia para hepatite B e C

As hepatites B e C podem ocorrer de maneira silenciosa e serem transmitidas ao feto sem a mulher saber. Os exames indicam a presença do vírus e a necessidade de tratamento.

Exame de HIV

Em função do risco de transmissão do vírus da AIDS da mãe para o bebê, o exame de HIV indica a necessidade da adoção de medidas que reduzem essa possibilidade, como tratamento com antirretrovirais.

Exame de sífilis

Um resultado positivo para a sífilis permite que a mulher que pretende engravidar e seu parceiro recebam o tratamento e as orientações necessárias para uma gestação mais segura e com menor risco de transmissão do vírus para o bebê.

Os exames de rotina devem ser realizados durante a gravidez, para acompanhar a saúde da mãe durante a gestação.

Exame de citomegalovirose

O exame detecta casos de citomegalovirose, infecção que pode ser transmitida ao feto e pode causar perda auditiva.

Teste oral de tolerância à glicose

É solicitado para mulheres que apresentam fatores de risco para diabetes gestacional (como histórico pessoal e familiar de diabetes, mais de 35 anos, obesidade, síndrome do ovário policístico etc.) ou cuja glicemia em jejum seja igual ou superior a 85 mg/dl.

Exame de fezes

É feito no início da gestação para detectar e tratar possíveis infecções intestinais.

Ultrassom

É o exame que acompanha o desenvolvimento e saúde do bebê, o nível de líquido amniótico, posição da criança e também pode ser realizado para descobrir o sexo do bebê.

 

Ficou curiosa para saber os demais exames necessários para a saúde e bem estar da mulher após a gestação? Não perca o próximo post.

Não deixem de realizar seus exames periódicos, mulher!

Marque já uma consulta com nossa ginecologista, através no WhatsApp: ww www.bit.ly/contatoclinipop

Saúde da Mulher – entenda como você pode se cuidar

A CLINIPOP (Clinica de Saúde de Goianira) promove semanalmente diversas campanhas de promoção de saúde para que a população de Goianira se cuide mais e tenha uma vida mais equilibrada.

Tenha tudo que precisa em um lugar só, com preços acessíveis e um atendimento personalizado.

A Clínica Popular de Saúde CliniPOP inaugura no dia 13/01/2020, com grandes novidades.

Nos acompanhe em nossas redes sociais.

 

Saúde da Mulher – entenda como você pode se cuidar

 

1. Controle o estresse.

O estresse pode gerar consequências impactantes para a saúde, como depressão, ansiedade e doenças cardíacas. Avalie as mudanças que precisam ser feitas na rotina para reduzir seu nível de estresse e, em seguida, coloque-as em prática.

2. Opte pela reeducação alimentar.

Comer de forma saudável não significa ter que sempre renunciar a opções como um pedaço de bolo de chocolate ou uma fatia de pizza. A ferramenta-chave é a moderação. Ingira diariamente frutas, legumes e alimentos integrais. Escolha fontes magras de proteína, como peixes e produtos lácteos com baixo teor de gordura (iogurte desnatado, leite desnatado, queijo branco, etc.).

 

3. Previna a osteoporose.

É importante ao longo de toda a vida ingerir alimentos ricos em cálcio, como leite e derivados, comer verduras de cor escura, como brócolis e couve, e peixes com ômega 3, como sardinha e salmão. Praticar regularmente atividade física e expor-se ao sol por 15 minutos diários, antes das 10h e depois das 16h, também são atitudes importantes.

4. Combine exercícios físicos.

Pratique de três a cinco vezes por semana uma combinação de exercícios físicos cardiorrespiratórios, de resistência e de peso. Eles ajudam a prevenir a osteoporose, doenças cardíacas, câncer e diabetes. O exercício também ajuda a melhorar a autoestima, o que é importante para a saúde mental da mulher.

 

5. Reflita sobre a fertilidade.

Embora muitas mulheres não tenham problema para conseguir engravidar depois dos 30 anos de idade ou, até mesmo, ter o primeiro filho depois dos 40 anos, a fertilidade da mulher pode começar a diminuir a partir dos 32 anos. Então, se você pretende ter filhos, converse com o seu médico sobre o assunto.

6. Cuide da higiene íntima.

Faça a higienização três vezes ao dia, de preferência utilizando água, sabonete especial para higiene íntima e usando somente os dedos. Caso a rotina movimentada não permita esse cuidado constante, utilize lenços umedecidos, para evitar que restos de papel e sujeiras orgânicas acumulem na vulva.

 

7. Dê atenção para as relações sexuais.

O sexo pode ajudar a reduzir o estresse. Se algo tem interferido negativamente na sua satisfação sexual, como secura vaginal ou dor durante a relação, converse com seu médico para encontrar uma solução.

 

8. Durma o suficiente.

Embora cada pessoa possua necessidades diferentes de sono, especialistas acreditam que o hábito de ter menos de sete horas de sono por noite pode trazer consequências negativas para o corpo e para o cérebro. O sono é essencial para a reparação de tecidos, crescimento, memória e aprendizagem.

 

CLINIPOP – Clínica Popular de Saúde (Goianira)

Tudo em um só lugar. Porque o que é bom não precisa ser caro!